Header-Photo(02)

Cores de batom para dentes amarelados

Você que adora um batom, é vaidosa e observadora, certamente já percebeu que algumas cores podem deixar os seus dentes mais amarelados, não é mesmo? Isso acontece porque alguns batons possuem pigmentos amarelos na composição, o que contribui para o escurecimento dental – mesmo que ele não exista. Qual a solução? Simples. Use batom com o fundo frio e não se iluda com aqueles que parecem fazer milagres no rosto das pessoas. O que você vê na embalagem ou propaganda pode ser exatamente o oposto na hora da prática, deixando o sorriso meio sem graça. Se você já tem os dentes bonitos e brancos e não quer passar vergonha, escolha as cores mais adequadas para cada ocasião. O ideal é que, na composição da cor, existam pigmentos azulados, porque o azul consegue neutralizar o amarelo e destacar a cor branca, dando um brilho natural e envolvente ao seu sorriso. Agora, se você gosta muito de usar batons amarelos ou alaranjados, experimente outros tons para amenizar o problema, já que alguns podem destacar mais ou menos o amarelado dos dentes. Isso significa dizer que, mesmo que eles sejam brancos, parecerão amarelos. Se forem amarelados a situação fica ainda pior, porque vão aparentar ainda mais. Resumo da ópera? Fuja dos vermelhos, laranjas e amarelos, mas invista no azul, rosa e cores escuras, como roxos. Dentes brancos na hora usando apenas truques com as cores de batom. Gostou da ideia? Então compartilhe. E se o batom não resolver o problema, pode procurar o Hospital Odontológico Cir para fazer o seu clareamento dental. Essa é a nossa dica de hoje. Sorria e arrase! Texto: Gustavo Frasão, do Hospital Odontológico Cir

Header-Photo-07-05(01)

Funções do dente e a sua importância

Você sabe a importância e as funções do dente? A falta de dentes pode ocasionar diversos problemas que vão muito além da estética, como a dificuldade na digestão de alimentos e na articulação da mandíbula. Um adulto deve ter 32 dentes e todos eles têm importância fundamental no funcionamento do organismo. Apenas os sisos não são fundamentais para o bom funcionamento da mastigação, que é a principal função dos dentes. Para repor os dentes perdidos, existem atualmente técnicas bastante eficientes para oferecer uma boca mais saudável ao paciente. Além das tradicionais próteses fixas e removíveis, existe a opção de implantes, os quais podem ser realizados sem cortes, onde o procedimento é menos invasivo. Nesse procedimento, é realizado um planejamento da cirurgia no computador e a partir da tomografia e guias cirúrgicos é construído para cada caso o tempo para conclusão do tratamento, que varia muito de acordo com os diferentes tipos de necessidade de cada paciente. Se a mastigação não for feita de maneira correta, os alimentos chegam maiores ao estômago, o que dificulta a digestão e a absorção dos nutrientes. Os dentes incisivos, que são os dentes frontais existem para cortar os alimentos. Os caninos, aqueles dentes mais pontiagudos, servem para rasgar os alimentos. Os pré-molares, que são os dentes com duas pontas, servem para esmagar e moer os alimentos. Por fim, os molares trituram os alimentos. Quando um dos dentes cai, os outros dentes que ficam ao lado tendem a se movimentar, o que gera um mau posicionamento da mordida. Em muitos casos, tem reflexos na articulação. Além disso, as movimentações dos dentes que ficaram incomodam o paciente. Anatomia dos dentes Coroa é a parte superior do dente e costuma ser a única parte visível. O formato da coroa determina a função do dente. A linha de junção dos dentes e da gengiva é o espaço que faz a divisão dos dentes. Caso não ocorra a higienização correta nessa área podem ser formadas placas ou tártaro, causando gengivite e outros males. A raiz do dente é a parte que está dentro do osso. É ela quem mantêm o dente inserido no osso. O esmalte é a camada externa do dente. É o tecido mais duro e mineralizado de todo o corpo humano, no entanto, podem ser danificados, caso os dentes não sejam higienizados de maneira correta. A dentina é a camada dentária situada abaixo do esmalte. A polpa é o tecido mole situado no centro do dente, onde são encontrados o nervo e os vasos sanguíneos. Texto: Régia Vitória, do Hospital Odontológico Cir

Header-Photo-05-05 (1)

Nossos dentes têm mais de uma cor

Você pode nunca ter reparado, já que a diferença é pequena, mas os nossos dentes são policromáticos, ou seja, têm mais de uma cor. E o motivo é simples: quase sempre está relacionado com o consumo de alimentos como refrigerantes, chá e café ou com comidas que têm alta concentração de pigmentação, como beterraba, cereja e amora. O hábito de fumar e problemas bucais como cáries também podem provocar a mutação das cores naturais. A boa notícia é que você não precisa mais se preocupar com isso. Dentes amarelados, ou escurecidos, são comuns na sociedade atual e incomodam muitas pessoas. Por isso, o Hospital Odontológico Cir conta com uma infraestrutura hospitalar completa, equipamentos de última geração e profissionais gabaritados para oferecer a você o que há de melhor e mais moderno em todos os tratamentos odontológicos. Por que os dentes amarelam? O dente é constituído, naturalmente, por esmalte, dentina, polpa e cemento. Qualquer alteração em uma dessas estruturas pode comprometer a cor natural e refletir em mudança de cor, interna ou externa. Vários fatores, incluindo genéticos, podem acarretar em manchas ou escurecimento dos dentes. O tabaco, por exemplo, provoca o escurecimento, assim como o consumo de chá, café e refrigerantes a longo prazo. O que provoca as manchas nos dentes? Existem dois tipos de manchas dentárias: as intrínsecas (internas) e as extrínsecas (externas). Alimentos com corante e a falta de higiene oral também causam as manchas externas. As internas, por sua vez, podem ser derivadas de diversos fatores, incluindo a má formação da camada de dentina, ou esmalte, por hereditariedade. Alguns medicamentos, como os antibióticos que têm em sua composição a tetraciclina, costumeiramente promovem manchas em forma de listras horizontais. As manchas intrínsecas são mais difíceis de serem identificadas e tratadas, já que ocorrem dentro da estrutura dentária. Por isso, normalmente só podem ser tratadas por meio do clareamento dentário ou procedimentos cirúrgicos um pouco mais invasivos, como desgaste ou restauração do dente. Para trazer o branco ideal aos seu sorriso, oferecemos desde o tratamento de clareamento dentário às restaurações dos dentes por meio de lentes de contato em porcelana, tudo feito sob medida, com precisão e em pouco tempo. Se você quer ter os dentes bonitos e com coloração uniforme, conte conosco! Marque sua consulta gratuitamente e deixe o seu sorriso pronto para brilhar. Texto: Gustavo Frasão, do Hospital Odontológico Cir

Header-Photo-02-05

Cáries – consumo moderado de vinho pode evitá-las

Um estudo realizado em 2013 pela Universidade de Pavia, na Itália, chegou a uma conclusão interessante sobre o vinho, que agora passa a ter relação direta com a saúde bucal das pessoas. Isso porque se for consumido moderadamente, pode evitar infecções, como cáries e gengivite, além de fortalecer o esmalte dos dentes. A pesquisa teve como base 100 degustadores da bebida que, durante três meses, provaram entre 25 e 50 copos de vinho, branco ou tinto. Em seguida, amostras dos dentes dessas pessoas foram colhidas para avaliação e o resultado foi surpreendente: nenhum deles apresentou qualquer sinal de erosão, cárie ou desgastes. Instigados sobre o assunto, investigadores da Universidade de Lavat, do Canadá, entraram em contato com os estudiosos da Itália para descobrir o porquê desse resultado. Durante 60 dias, os pesquisadores fizeram uma parceria e avançaram no assunto para concluir que o vinho possui uma substância fitonutriente, presente nas plantas com propriedades antioxidantes, chamada de proantocianidina, que evita o crescimento de placas bacterianas e aumenta a salivação, uma limpeza natural do corpo humano. Os estudos concluíram também que esse material não apenas modula, mas anula a ação de componentes do organismo que propiciam o surgimento de inflamações. OBS.: O consumo do vinho deve ser evitado durante o tratamento de clareamento dentário, porque pode escurecer o esmalte dos dentes. Texto: Gustavo Frasão, do Hospital Odontológico Cir

Header-Photo-30-04 (2)

Gengivite – se não for tratada, pode causar perda dos dentes

A gengivite é a forma mais branda de uma doença periodontal caracterizada pela inflamação das gengivas. Se não for tratada corretamente, pode evoluir e causar danos irreversíveis ao paciente, como perda óssea e dos dentes. Esse é um tipo de inflamação provocada principalmente pela falta de higiene oral e causa inchaço, sangramento e vermelhidão na gengiva. Em alguns casos, a pessoa pode sentir dor, gosto ruim na boca e ter mau hálito. Por isso, a limpeza correta dos dentes, com escovação suave sempre após as refeições e uso do fio dental, pode minimizar o problema e evitar a proliferação das bactérias que desencadeiam a doença. Além disso, é importante visitar o seu dentista pelo menos uma vez a cada seis meses para uma avaliação completa da sua saúde bucal. A prevenção é a melhor forma de se proteger contra as doenças periodontais. Outras causas da doença A gengivite não é causada unicamente pela falta de higiene bucal, mas por outros problemas de saúde como infecções provocadas por vírus ou fungos e outros tipos de doenças mais graves, como leucemia (câncer no sangue), diabetes, AIDS, desnutrição e até mesmo o estresse. Pessoas que têm o hábito de fumar, consumir bebidas alcoólicas ou que tomam medicamentos controlados também podem apresentar os sintomas da gengivite, assim como mulheres durante a gravidez ou menopausa. O tratamento Se a gengivite for diagnosticada na fase inicial, poderá ser tratada pelo próprio paciente em casa, após orientação do dentista, com escovação e uso correto do fio dental. Caso o problema seja descoberto já em um estágio mais avançado, com a presença de placas bacterianas e tártaros, a limpeza deverá ocorrer no consultório odontológico. Em situações mais graves, é preciso o usar antibióticos e anti-inflamatórios. Se nenhum desses tratamentos resolver, a cirurgia periodontal poderá trazer a solução para o problema. Texto: Gustavo Frasão, do Hospital Odontológico CIR

1 3 4 5 6 7 24